Link

MP ajuiza ação para impedir repressão armada a camelôs

eduardo-paes-choque-de-ordemMP ajuiza ação para impedir repressão armada a camelôs

– Atualizada às – 03/06/2013 – O DIA

MP ajuiza ação para impedir repressão armada a camelôs

Órgão pede que Prefeitura e Guarda Municipal indenizem ambulantes em no mínimo R$ 30 mil cada

O Dia

Rio – A 7ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania ajuizou ação civil pública contra o município do Rio de Janeiro e a Guarda Municipal para impedir repressão armada a camelôs.

A ACP pede a condenação dos réus ao pagamento de indenização, por dano moral difuso, no valor mínimo de R$ 600 milhões. A ação também pediu que os ambulantes submetidos à atuação ilegal dos guardas municipais sejam indenizados em, no mínimo, R$ 30 mil cada.

A ação propõe ainda que a Guarda Municipal pare de fiscalizar ambulantes no Rio de Janeiro, sob pena de multa de R$ 50 mil para cada situação de descumprimento.

A ação se baseou em inquérito civil instaurado a partir de denúncias de ambulantes, que teriam sofrido abusos, e de notícias de violência contra vendedores.

De acordo com a promotoria, além de atuar na fiscalização das atividades econômicas desenvolvidas pelos ambulantes e de apreender mercadorias ilegalmente, “o uso de armas ‘não letais’, invariavelmente empregadas nas operações da Guarda Municipal, é expressamente vedado pela Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro.

Na ação, o MP pede a suspensão da apreensão de mercadorias e objetos de trabalho de ambulantes do Rio pela Guarda Municipal; e a proibição de utilização de armas de qualquer natureza, letais ou “não letais”, como granadas de gás lacrimogêneo e de efeito moral, balas de borracha, bastões de choque, canhões de água, sprays de pimenta, espargidores de agentes químicos incapacitantes, tasers, pistolas elétricas ou similares.

O MP propôs também a invalidação dos termos de retenção de mercadorias emitidos pela Guarda Municipal e dos autos de apreensão e infração deles decorrentes; além da condenação dos réus a, solidariamente, restituírem aos ambulantes os valores arrecadados destas retenções.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s